Warren Buffet

Warren Edward Buffett, nascido em 30 de Agosto de 1930, em Omaha, Nebraska, EUA, é um investidor Americano, empresário e filantropo.

O Jeito Warren Buffet de Investir
 
Introdução
 
Este trabalho tem como objetivo, destacar os princípios e a fórmula de sucesso do maior investidor do mundo (Warren Buffet).
 
 Warren Buffet
 

Warren Edward Buffett, nascido em 30 de Agosto de 1930, em Omaha, Nebraska, EUA, é um investidor Americano, empresário e filantropo. Ele é reconhecido como um dos melhores investidores no mercado de ações e é o maior acionista e executivo principal da Berkshire Hathaway. Com um patrimônio líquido de aproximandamente 62 bilhões de dólares ele foi listado pela revista Forbes como a pessoa mais rica do mundo (em Fevereiro de 2008).
Estudou na Universidade do Nebraska, e fez um mestrado em economia na Escola de Negócios de Colúmbia, sendo aluno de Benjamin Graham.
Trabalhou com Graham, onde seguiu as regras de investimento de seu mestre. Voltou a Omaha em 1956 sem nenhum plano em mente, até que alguém lhe pediu que cuidasse de seus investimentos. Assim foi como Warren Buffett começou.
O desempenho de seus negócios espelha seu enorme talento para multiplicar dinheiro – dele e dos outros. Em 1965, quando assumiu o controle da Berkshire Hathaway, então uma firma de origem no setor têxtil mas que também vendia seguros. As ações da companhia eram negociadas a menos de 10 dólares cada uma. Hoje, uma única ação custa quase cem mil dólares, uma assombrosa valorização de 1.000.000% em quarenta anos. Quem tivesse aplicado cem dólares na firma de Buffett, em 1965, teria hoje um milhão de dólares. Os mesmos 100 dólares aplicados na média do Dow Jonesequivaleriam a 1.500 dólares.
Buffett ganhou sua fortuna baseando seus investimentos em empresas com potencial de crescimento no longo prazo. Alguns de seus investimentos foram: American Express, Walt Disney Company, Coca-Cola Company, Gillette, The Washington Post Company.

 
A Formação de Warren Buffet
 

Na formação que influenciou as estratégias de investimentos de Warren Buffet, houve a participação de alguns importantes personagens que fizeram parte da história da análise financeira. Segue abaixo a relação destes personagens, com as suas principais idéias:
 

Benjamin Graham
 

Graham considerava o conceito de investimento sólido a um lema que chamou de margem de segurança. Na visão de Graham, para definir o conceito de margem de segurança, bastava observar a diferença entre lucros e despesas fixas de uma empresa. Se essa margem fosse grande o suficiente, o investidor estaria protegido de uma queda inesperada da empresa. Se, por exemplo, um analista revisse o histórico operacional de uma empresa e descobrisse que, em média, ao longo dos últimos cinco anos a empresa foi capaz de ganhar anualmente cinco vezes mais que suas despesas fixas, então as obrigações da empresa tinham uma margem de segurança.
 
O verdadeiro teste foi a capacidade de Graham de adaptar o conceito para as ações ordinárias. Ele argumentou que, se o spread entre o preço de uma ação e o valor intrínseco de uma empresa fossem altos o suficiente, o conceito de margem de segurança poderia ser utilizado para selecionar as ações. A definição de Graham para o valor intrínseco era que o ‘’ valor é determinado pelos fatos ‘’. Esses fatos incluíam o patrimônio de uma empresa, seus lucros e dividendos e quaisquer perspectivas futuras.
 
Graham nos pedia para aceitar o fato de que o valor intrínseco é um conceito vago. Ele é diferente do preço de cotação do mercado. Originalmente, considerava-se que o valor intrínseco era o mesmo que o valor contábil de uma empresa ou a soma de seus ativos reais menos as obrigações. Entretanto, os analistas passaram a perceber que o valor de uma empresa não era apenas o de seus ativos reais líquidos, mas também o valor dos lucros produzidos por esses ativos.
 
Há duas regras para investir, de acordo com Graham. A primeira regra é: não perca. A segunda regra é: nunca se esqueça da regra número um. Essa filosofia de ‘’ não perder ‘’ orientou Graham na direção de duas abordagens para selecionar ações ordinárias que, quando aplicadas, estavam de acordo com a margem de segurança. A primeira abordagem era comprar uma empresa por menos de dois terços de seu valor líquido e a segunda era se concentrar em ações com baixos índices preço/lucro (P/L).
 
Comprar uma ação por um preço abaixo de dois terços de seus ativos líquidos se adequava perfeitamente a idéia de Graham . Ele deduzia todos os passivos de curto e longo prazos da empresa, sendo o restante os ativos circulantes líquidos. Se o preço da ação estivesse abaixo desse valor por ação, Graham concluía que havia uma margem de segurança e que a compra seria garantida. Ele se concentrava em ações cujos preços estavam em queda e que estavam sendo vendidas a um baixo índice P/L.

 
Philip Fisher
 

Fisher acreditava que as pessoas poderiam realizar lucros superiores ao: (1) investir em empresas com potencial acima da média e (2) alinhar-se com a gestão mais capaz. Para o primeiro critério, a característica que mais impressionou Fisher foi a capacidade de uma empresa de apresentar vendas crescentes ao longo dos anos em taxas mais altas que a média do setor. Entretanto,  potencial de mercado por si só representa só metade da história; a outra metade são lucros consistentes. Nas suas palavras, “ Nem todo o crescimento de vendas do mundo produzirá o tipo certo de veículo de investimento se, ao longo dos anos, os lucros não crescerem de acordo.
 
Fisher defendia que nenhuma empresa poderá sustentar sua lucratividade a menos que seja capaz de reduzir os custos de fazer negócios enquanto ao mesmo tempo compreende o custo de cada etapa do processo de produção. A sensibilidade de Fisher em relação a lucratividade da empresa se relacionava com outra preocupação: a capacidade que uma empresa tem de crescer no futuro sem necessidade de aumentos de capital. De acordo com Fisher, se uma empresa só for capaz de crescer por meio da venda de ações, o maior número de ações emitidas anulará qualquer benefício que os acionistas possam ganhar com o crescimento da empresa. Uma empresa com altas margens de lucro, ele defende, é mais capaz de gerar recursos internamente e, assim, sustentar o crescimento sem diluir a propriedade dos atuais acionistas.
 
O segundo critério de Fisher para identificar empresas notáveis era a qualidade da gestão. A gestão deve determinar políticas para garantir ganhos consistentes por dez ou doze anos, mesmo correndo o risco de reduzir os lucros imediatos.
 
Por fim, Fisher analisava as características específicas dos negócios e da gestão de uma empresa e as comparava com outros negócios no mesmo setor. Nessa análise, Fisher procurava revelar indicadores que pudessem ajuda-loa entender a superioridade de uma empresa em relação a seus concorrentes.

 
John Burr Williams
 

O modelo de Williams é um processo de duas etapas. Primeiro os fluxos de caixa são mensurados para calcular o valor presente e futuro da empresa. Como estimar fluxos de caixa? Uma medida rápida é utilizar os dividendos pagos aos acionistas. No caso de empresas que não distribuem dividendos, Williams acreditava que, em teoria, todos os lucros acumulados deveriam mais cedo ou mais tarde se transforma em dividendos. Williams escreveu: ‘’ Se os lucros não pagos na forma de dividendos forem todos reinves
 
tidos com sucesso, então os lucros devem produzir mais tarde; se não, eles perderam dinheiro.
 
A segunda etapa é descontar esses fluxos de caixa estimados, como garantia de eventuais incertezas. Esse desconto seria a taxa livre de risco (taxa de juros para obrigações norte-americanas de longo prazo) segundo Buffet.
 

Charles Munger
 

Depois de um jantar em Omaha no ano de 1959, Munger e Buffet iniciaram uma extraordinária parceria.
 
Além do talento financeiro, Munger levava os fundamentos das leis comerciais. Ele também levou uma perspectiva intelectual bastante diferenciada da de Buffet. Munger é um apaixonado por muitas áreas do conhecimento – ciência, história, filosofia, psicologia, matemática – e acredita que cada uma dessas áreas possui conceitos importantes que as pessoas podem, e devem, aplicar em seus empreendimentos, incluindo suas decisões de investimentos. Ele as chama de ‘’ as grandes idéias ’’.  

 
Uma mistura de influências
 

   Em 1965, Buffet começou a perceber que a estratégia de compra de ações baratas de Graham não era ideal. Ao seguir a abordagem de seu mentor de buscar empresas com ações vendidas a um preço inferior ao seu capital circulante líquido, Buffet acabou comprando alguns verdadeiros fracassos. Diversas ações compradas por ele a preços baixos (e que, portanto, passavam no teste de Graham para a compra), estavam baratas porque os negócios das empresas enfrentavam problemas. Se os ensinamentos de Graham se limitassem a esses preceitos, Buffet não o respeitaria tanto. Mas a teoria da margem de segurança que Graham enfatizava era tão importante para Buffet que ele se permitia fazer vista grossa aos pontos fracos da metodologia do mestre.
 
Com Fisher, Buffet aprendeu o valor do mexerico. Ao longo dos anos, Buffet desenvolveu uma ampla rede de contatos que o ajudam a avaliar os negócios. Fisher ensinou a Buffet os benefícios de se concentrar apenas em alguns investimentos. Com a influência de Fisher, Buffet passou a dizer: ‘’ Em cada investimento que você faz, você deve ter a coragem e a convicção de colocar pelo menos 10% de seu ativo total nessa ação.
 
Enquanto Graham se interessava em comprar ações baratas, Fisher se interessava em comprar empresas que tivessem o potencial de aumentar seu valor intrínseco no longo prazo. Warren Buffet dizia que era 15% Fisher e 85% Graham. 

 
Comprando um Negócio
 

As aquisições mais recentes de Buffet tinha como critérios: negócios simples e de fácil compreensão com capacidade de gerar receitas, bom retorno sobre o patrimônio líquido, poucas dívidas e boa gestão, sendo por algumas vezes, fugindo da premissa de Graham de comprar somente empresas subvalorizadas.

Segue abaixo os princípios de Warren Buffet
 
Princípios de negócios
 
- O negócio é simples e fácil de entender?
 
- O negócio tem um histórico operacional consistente?
 
- O negócio tem perspectivas favoráveis no longo prazo?
 
Princípios de gestão
 
- A Administração é racional?
 
- A Administração é honesta com seus acionistas?
 
- A Administração resiste ao imperativo institucional?
 
Princípios financeiros
 
- Qual é o retorno sobre o patrimônio líquido?
 
- Quais são ‘’ os lucros do proprietário ‘’ da empresa?
 
- Quais são as margens de lucro?
 
- A empresa criou pelo menos um dólar de mercado para cada dólar retido?
 
Princípios de valor
 
- Qual é o valor da empresa?
 
- Ela pode ser comprada com um desconto significativo em relação a seu valor?
 
Orientações de Investimento
 

Para Buffet, é fundamental os investidores terem a convicção de que o negócio que estão comprando hoje, tenha um bom desempenho no futuro. Eles devem ter algum grau de confiança em suas estimativas de lucros futuros. Para tanto, se uma empresa demonstra resultados consistentes com o mesmo tipo de produto ano após ano, não é ilógico pressupor que esses resultados se manterão.
 
Buffet evita comprar empresas que estejam mudando de direção em virtude de seus planos anteriores não terem sido sucesso. De acordo com sua experiência, grandes mudanças no negócio aumentam as chances de se cometer grandes erros.
 
Num encontro anual da Berkshire em 1995, Buffet declarou que gosta de ações que gerem altos retornos sobre o capital investido, e que tenham a grande probabilidade de manter esse desempenho. Com isso, Buffet procurava o que ele denominava de franchises. Logo, ele definia uma franchise como uma empresa cujo produto ou serviço (1) é necessário ou  desejado; (2) não possui um substituto próximo, (3) e não é regulamentado.
 
Segundo Buffet, uma franchise pode aumentar os preços regularmente sem temer a perda da participação de mercado. Essa flexibilidade na formação de preços é uma das características determinantes de uma franchise; ela permite que essas empresas ganhem retornos acima da média sobre o capital investido. A capacidade de sobreviver a contratempos econômicos é mais um fator econômico importante.
 
Na concepção de Buffet, a ação gerencial mais importante é a alocação do capital da empresa. É a ação mais importante porque a alocação define o valor do acionista. A questão ganha importância quando a empresa atinge um determinado nível de maturidade, no qual a taxa de crescimento desacelera e ela começa a gerar mais disponível do que precisa para o desenvolvimento e os custos operacionais. Nesse caso, como os lucros devem ser alocados?- Se o disponível excedente, reinvestido internamente, puder produzir um retorno sobre patrimônio líquido acima da média – um retorno superior ao custo de capital –, a empresa deve reter seus lucros e reinvesti-los.
 
Na cabeça de Buffet, o único caminho razoável e responsável para as empresas que possuem uma pilha crescente de disponível que não pode ser reinvestido em taxas acima da média é devolver o dinheiro aos acionistas. Para isso, dois métodos estão disponíveis: aumentar os dividendos ou comprar ações de volta. Para ele, quando os executivos compram ativamente as ações da empresa no mercado, estão demonstrando trabalhar no interesse de seus proprietários e não de acordo com uma necessidade negligente de expandir a estrutura corporativa.

  A Franqueza é outro ponto que Buffet ressalta, já que ele tem alta consideração com os gestores que informam o desempenho financeiro de suas empresas de forma completa e sincera, que admitem os erros e compartilham os sucessos e que são francos com seus acionistas. A empresa deve ajudar os leitores financeiramente instruídos a responderem três questões: (1) Quando essa empresa vale, aproximadamente?  (2) Quais são as chances de ela conseguir cumprir com suas obrigações futuras?  (3) Esses gestores estão fazendo um bom trabalho, dada as circunstâncias?
 
Quando a contabilidade da companhia é enganosa e ainda possui questões financeiras mal resolvidas, Buffet classifica tais atitudes de gananciosa, mentirosa e criminosa. Buffet acha que os relatórios contábeis são um bom local para procurar sinais de problema. Quando são encontrados nesses relatórios demonstrações de lucros ‘pro-forma‘ – tabulações nas quais os gestores invariavelmente declaram ‘lucros muito maiores do que os permitidos por seus auditores, informações que o CEO diz a seus proprietários ‘não leve isto em conta, não leve aquilo em conta, são sinais evidentes da contabilidade enganosa da companhia.
 
Para avaliar o valor da gestão de uma companhia, Buffet sugere algumas dicas como:
 
1 – Rever os relatórios anuais a partir de alguns anos atrás, prestando atenção especial ao que a administração disse na época e quais foram as suas estratégias para o futuro.
 
2 – Após a etapa 1, compare as estratégias aos resultados de hoje: Essas estratégias foram levadas completamente a cabo?
 
3 – Compare os planos de alguns anos atrás aos planos e idéias deste ano: Quais foram as mudanças?
 
4 – Compare relatórios anuais da empresa na qual você está interessado com relatórios de empresas similares do mesmo setor.
 
5 – Acompanhe artigos de jornais e revistas financeiras sobre a empresa na qual você está interessado e sobre o setor em geral. Leia o que os executivos da empresa tem a dizer e o que os outros dizem sobre eles.   
 
 Se você souber que o presidente do conselho recentemente deu uma palestra ou fez uma apresentação, obtenha uma cópia do departamento de relacionamento com os investidores e estude o material meticulosamente. Utilize o site da empresa na internet para obter informações atualizadas. Quando mais desenvolver o hábito manter-se atento a novas informações, mais fácil se tornará o processo.

Os princípios financeiros por meio dos quais Warren Buffet analisa tanto a excelência gerencial quanto o desempenho econômico estão fundamentados em alguns preceitos característicos de Buffet. Para começar, ele não leva os resultados anuais muito a sério. Em vez disso, se concentra em médias de quatro ou cinco anos. Além disso, Buffet não tem muita paciência com os truques de mágica contábil que produzem resultados impressionantes de final de ano, mas pouco valor real. Por causa disso, conta com alguns princípios financeiros atemporais como:
 
- Concentrar-se no retorno sobre o patrimônio líquido, não no lucro por ação.
 
- Calcular os ‘’ lucros do proprietário’’ para obter uma medida real do valor
 
- Procurar empresas com altas margens de lucro
 
- Para cada dólar retido, a empresa criou pelo menos um dólar de valor de mercado?
 
Retorno sobre o Patrimônio Líquido – Os analistas estimam o desempenho anual de uma empresa examinando o lucro por ação, enquanto por sua vez, Buffet considera os lucros por ação uma cortina de fumaça. Como a maioria das empresas retém uma parte dos lucros do ano anterior para aumentar sua base patrimonial, ele não vê motivo para se empolgar com recordes de lucro por ação. Portanto, Buffet acha que o verdadeiro teste do desempenho econômico é saber se a empresa atinge um alto índice de lucro sobre o patrimônio (sem alavancagem indevida, truques contábeis etc). Para o cálculo do retorno sobre o Patrimônio Líquido, Warren Buffet nos aconselha a fazer ajustes, entre eles alguns como:
 
- Excluir todos os ganhos e perdas de capital bem como fatores extraordinários que podem elevar ou reduzir os lucros operacionais. Ele quer saber se a gestão executa bem a tarefa de gerar um retorno sobre as operações do negócio considerando o capital empregado.
 
Outro ponto considerado pelo maior investidor dos tempos atuais,  ainda a respeito do patrimônio líquido, é que um negócio deve obter bons resultados sobre patrimônio líquido empregando pouca ou nenhuma dívida. ‘’ Bons negócios ou decisões de  investimento’’, ele diz, ‘’ produzirão resultados econômicos bastante satisfatórios sem a ajuda da alavancagem ‘’.
 
Lucros do proprietário – Para Buffet, os ganhos contábeis são úteis ao analista apenas quando se aproximam do fluxo de caixa esperado da empresa. Mesmo assim, é preciso saber que o fluxo de caixa não é uma ferramenta perfeita para estimar valor; ele muitas vezes ilude os investidores. O fluxo de caixa é uma forma adequada de avaliar negócios que possuem grandes investimentos iniciais e pequenos investimentos posteriores, como empresas de bens imobiliários, campos de gás natural ou empresas de TV a cabo. Por outro lado, empresas que requerem constante dispêndio de capital, como as manufaturas, não são estimadas com precisão somente com a utilização do fluxo de caixa.

Buffet define como fórmula do Fluxo de Caixa de uma empresa, a renda líquida depois dos impostos mais depreciação, exaustão, amortização, menos o montante de despesas de capital e qualquer capital circulante líquido adicional que possa ser necessário. Ele admite, que o cálculo do dispêndio de capital futuro geralmente requer estimativas aproximadas.
 
Margens de Lucro – Buffet cita como exemplo, a sua própria empresa a Berkshire Hathaway, que tem uma despesa corporativa com custos gerais indiretos depois dos impostos menor que 1% do lucro operacional, enquanto outras empresas com lucros similares possui para essas mesmas despesas o equivalente a 10%.
 
A premissa do um dólar –A meta de Buffet é selecionar empresas nas quais cada dólar de lucros acumulados seja traduzido em pelo menos US$ 1 de valor de mercado. Se os lucros acumulados são investidos na empresa e produzem um retorno acima da média, a prova será um aumento proporcionalmente maior do valor de mercado da empresa
 
Calcular o valor do negócio
 
Ao longo dos anos, vários analistas financeiros utilizaram várias fórmulas para estimar o valor intrínseco de uma empresa. Para Buffet, o melhor sistema que visa tal objetivo, é o modelo de desconto de dividendos de Williams apresentado há 60 anos atrás. Com isso, o valor de uma empresa é o total dos fluxos de caixa líquidos (lucros do proprietário) esperados ao longo de toda a vida do negócio descontado de uma taxa de juros adequada (Por muitos anos, ele utilizou a taxa de longo prazo das obrigações do governo).
 
Contudo, Buffet se mantém firme em um aspecto: ele busca empresas cujos lucros futuros sejam tão previsíveis, tão certos, quanto os lucros das obrigações. Se ele não puder projetar com convicção quais serão os fluxos de caixa futuros de um negócio, não tentará estimar o valor da empresa. Ele simplesmente deixará a empresa passar.
 
Compre a preços atrativos
 
Graham ensinou Buffet a importância de comprar uma ação somente quando a diferença entre seu valor represente uma margem de segurança. O princípio da margem de segurança ajuda Buffet de duas maneiras. Primeiro, protege-o do risco de queda do preço. Se ele calcular que o valor de um negócio é apenas ligeiramente superior a seu preço por ação, ele não comprará as ações. Ele raciocina que, se o valor intrínseco da empresa cair mesmo que um pouco, mais cedo ou mais tarde o preço da ação também cairia, talvez abaixo do que ele pagou.
  
Mas quando a margem entre o preço e o valor é grande o suficiente, o risco de queda de valor é menor.

Margem de Segurança

Existem algumas formas de abordar o conceito de margem de segurança. A primeira delasse baseia na diferença entre o valor intrínseco e o preço da ação no mercado. Nas palavras do próprio Buffet, “Preço é o que você paga, valor é o que você tem”. Benjamin Graham finaliza o livro “O Investidor Inteligente” mostrando uma perspectiva diferente deste conceito, fazendo uma comparação entre o poder de lucro da empresa e o rendimento de um investimento em títulos do governo.

Para chegarmos na margem de segurança, precisamos antes entender o conceito depoder de lucro.
Imagine uma empresa cujo valor de mercado seja R$ 1 bilhão e que tenha lucro líquido anual de R$ 125 milhões. Dividindo o lucro líquido pelo seu valor de mercado, chegamos ao conceito de poder de lucro (earning power):

Fórmula do Poder de Lucro
Poder de Lucro = Lucro Líquido/Valor de Mercado
Poder de Lucro = 125.000.000/1.000.000.000 = 12,5%

Em nosso exemplo, o poder de lucro seria 12,5%. Isso significa que nossa empresa consegue lucrar R$ 12,5 para cada R$ 100 em ações (O leitor atento do nosso blog vai perceber que esse poder de lucroé o P/Linvertido).

Calculando a Margem de Segurança

Utilizando o conceito de “poder de lucro”, a nossa margem de segurança seria calculada através da taxa básica de juros.
Margem de Segurança = (Poder de Lucro/Selic) – 100% ou
Margem de Segurança = (L/P/Selic)
 
* L/P é o P/L invertido e a Selic
 
No caso, a margem será positiva se o poder de lucro for superior à SELIC.
 

Investimento Focado
  

Buffet disse que investimento focado significa o seguinte: escolha algumas poucas ações que têm chances de produzir retornos acima da média. Ele utiliza seu cinto de utilidades para encontrar empresas com um longo histórico de desempenho superior e gestão estável. Tal estabilidade significa que elas possuem uma grande probabilidade de apresentar um desempenho futuro no mesmo nível que apresentaram no passado.

 
Algumas regras foram desenvolvidas para se torna um investidor focado. Buffet denomina as mesmas de ‘’ regras de Ouro ‘’. Segue-as abaixo:
 
1 – Concentre seus investimentos em empresas excelentes conduzidas por uma administração forte.
 
2 – Limite-se a empresas que consiga verdadeiramente entender. Um número entre dez e 20 é bom.
 
3 – Escolha as melhores dessas boas empresas e concentre nelas a maior parte de seus investimentos.
 
4 – A volatilidade é um fator. Continue firme
 
Além das regras ditas acima, Buffet tinha como estratégia manter a taxa média de sua carteira de no máximo 20%.
 
 Na visão de Buffet para o risco, ele sempre percebeu uma queda no preço das ações como uma oportunidade de ganhar dinheiro. Em seu raciocínio, portanto, uma redução no preço na verdade reduz o risco. Buffet acredita que comprando uma ação hoje, com a intenção de vende-la amanhã, terá entrado em uma transação arriscada. As chances de prever se o preço da ação subirá ou cairá em um período curto são as mesmas de prever cara ou coroa ao lançar uma moeda. Na verdade, acrescenta W.Buffet, enquanto você se sentir bem em relação aos negócios que possui, receberá os preços mais baixos de braços abertos, enxergando neles uma forma de aumentar sua participação de forma lucrativa.
 
Por último, Buffet cita que se os verdadeiros investidores comprassem quando o resto do mundo se volta ao pessimismo, porque eles vêem a situação como ela de fato é: um momento perfeito para comprar boas empresas a preços de pechincha. O pessimismo, ele diz, ‘’ é a causa mais comum dos baixos preços...Queremos fazer negócios em um ambiente como esse, não porque gostamos do pessimismo, mas porque gostamos dos preços que isso gera. O otimismo é que é o inimigo do comprador racional ‘’.

 
Texto retirado do livro "O Jeito de Investir de Warren Buffet" do próprio autor (Warren Buffet).
Entre em contato conosco